sábado, 3 de julho de 2010

Sábado

Vi o relâmpago disposto nas candeias
do sangue o caminho onde ardo na forja
com que as mãos tecem oiro a bordadura
das catedrais a memória solidificando-se
no lado vertiginoso da boca as vísceras
ungindo o granito dos dias ancestrais
murmúrios caindo na rua de los libreros
puro espaço em si o vazio e a plenitude
em que deus susteve o verbo a blasfémia
do poeta o gesto imperceptível da morte.
...........................................João Rasteiro
.....In, Salamanca ou a Memória do Monotauro

4 comentários:

Jorge Melícias disse...

Há aí muita coisa muito próxima: "Vi o relâmpago disposto pelas traves/" ; "o timbre em que deus susteve a nota.//".

Abr.

Jorge

alice disse...

querido joão, ontem o jorge vicente disse-me que fazias anos, mas não consegui chegar aqui a tempo de te dar os parabéns. com igual intenção, deixo-te um grande beijinho. agora que sei a tua morada, qualquer dia apareço para um brinde :) um abraço, joão, fica bem!

gabriela r martins disse...

na passada sexta feira lembrei.me ,por várias vezes ,do teu dia de anos ,tanto assim que te deixei um beijinho pelo dia de sábado .... esperava não me esquecer .... mas esqueci.me ,no sábado e ontem .... dois dias de atraso .... é grave ,mas mais grave seria se não viesse ,hoje ,deixar.te o que já deveria tê.lo feito

três lugares comuns - parabéns ,votos de felicidades e


.
um beijo
( todavia ,especiais )

gabriela r martins disse...

ei ,Amigo ,cadê?




.
um beijo