quinta-feira, 18 de março de 2010

DESTINOS

“Mutação”
1.
.
O homem recosta a garganta
nas imagens da astúcia
numa ferocidade própria dos sons e dos sopros
um mergulho no fluído da luz
que possa conceder o privilégio de profanar
o templo das máscaras oblíquas
a boca cheia de corpo
onde o coração se consome agachado e devagar
uma sincera cegueira
desde a respiração palpitante entre as bocas
e as guelras onde levita a carne.
.....................In, A Respiração das Vértebras, 2001

1 comentário:

gabriela r martins disse...

a ti me rendo ,ó Musa ,em canto



.
um beijo
( ainda não tão louco quanto..... )