domingo, 15 de março de 2009

Fulgurações

...........................................Susanne S. D. Themlitz

Luz
.
A luz que aflui errática das pedras
e anuncia o dia na chama dos corpos
derretendo o aço que nos corta
procura um ninho por entre as mãos
e ramifica-se linguagem entre os dedos.
.
Na perfeição da luz está a poeira
no fundo um templo ou uma garganta
a sombra desfocada em que nos projectamos
o silêncio alumbrado em suas formas nuas,
.
adiro dobrado ao grande segredo da luz
e desenho sobre ela as veias que vão doendo.

João Rasteiro

In, No Centro do Arco - 2003

.........Vinicius de Moraes - Pela Luz dos Olhos Teus

3 comentários:

alice disse...

o ninho das palavras é feito destas veias que doem e sangram. um beijo, joão.

vaandando disse...

Viva João !
Acabei de te ler , num poema de de luz com a tua linguagem sempre sóbria e densa ... Um desafio!
Abraço
________ JRMARTO

Silvestre Raposo disse...

Um abraço grande e Parabéns pelo teu trabalho