quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

PAISAGENS


..........................................Alfredo Luz
O corpo profuso flutua incendiado
como os tendões duros da terra,

eu sigo o eco da maturação perfeita,
um círculo fechado no halo dos enigmas
que ignora a extensão da sua teia púrpura

(...)

Há bocas cheias de secretos signos
que a água não escondeu dentro do fogo
mães rasgando um lento solo sagrado

(...)

Olho os favos de mel da idade inicial
o lugar em que se simula a ressurreição
e as veias são um rastro de estrela.

João Rasteiro - In, Os Cílios Maternos, 2005

............................................Joan Baez - Diamonds & Rust

5 comentários:

alice disse...

no centro do arco o solo sagrado dos poemas. um beijo, joão.

Maria Toscano disse...

também Amo a esses "favos de mel da idade inicial".
Belo, João! (o Poema!)
.
e
há uma ciranda que cirandou desde o "Do Inatingível" até ao "sulmoura"... vai lá ver e... escrever!
:-)
abraço!
mt

vaandando disse...

Um prazer , ler-te assim devagar, e devagar ...
abraço, Poeta!
________ JRMARTO

gabriela rocha martins disse...

ins piro
res piro
ex piro
trans piro
e
piro.me
(rendida)
ao teu canto
amigo



.
um beijo

bonecadetrapos disse...

Gosto da sua escrita. A respiração é total, as imagens claras. O ritmo perfeito.


Saudações
*__bonecadetrapos__*