sábado, 14 de fevereiro de 2009

RAUL PEREZ - "sem título"

Raúl Perez, aqui em amena conversa, comigo e com o pintor Seixas Peixoto, durante a inauguração da exposição "A Voz dos Espelhos", Amadora/08, nasceu em Lovelhe-Minho em 1944. Realizou a sua 1º exposição individual em 1972 a convite de Cruzeiro Seixas. Depois de em 1973 integrar o Movimento Phases, expôs em vários locais, quer em Portugal, quer no estrangeiro, tendo ao longo dos anos integrado algumas das mais importantes exposições do surrealismo internacional, mesmo recusando-se a integrar explicitamente um movimento artístico, partido, clube ou religião. A sua pintura, ditada essencialmente pelo automatismo, cria uma imagética organicista e contagiante de seres híbridos, de contornos moles e ondulantes, em áridas arquitecturas e crepusculares ambientes metafísicos (Gonçalves & Cuadrado, 2004). É sem dúvida hoje, um dos mais importantes pintores portugueses contemporâneos.
O Museu Colecção Berardo apresenta a maior exposição de sempre do pintor Raúl Perez - Cerca de 90 desenhos e pinturas criadas entre 1960 e 2008 por Raúl Perez vão ser apresentados segunda-feira no Museu Colecção Berardo, naquela que é a maior exposição de sempre dedicada ao universo plástico deste artista português."Raúl Perez - Desenho e Pintura" será apresentada em colaboração com a Fundação Cupertino de Miranda, com sede em Famalicão, onde, em 2006, o pintor de 64 anos apresentou uma outra exposição com cerca de setenta obras. Foi a partir dessa exposição que decidiu fazer uma mais alargada, com uma selecção de obras "mais apurada", totalmente dedicada a uma fase iniciada a partir dos anos 1960, explicou Raúl Perez em entrevista à Lusa a poucos dias da inauguração. (In, Público).
Em sua homenagem, um poema de Mário Cesariny, um pintor e poeta que sempre admirou.
"Eu, Sempre..."
.
Eu sempre a Platão assisto.
Pessoalmente, porém, e creia que não
Tenho qualquer insuficiência nisto,
Sou um romano da decadência total,
Aquela do século IV depois de Cristo,
Com os bárbaros à porta e Júpiter no quintal.
Mário Cesariny
.........................................Madredeus - "Silêncio"

http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1365058&idCanal=14

http://www.timeout.pt/news.asp?id_news=3017

http://www.museuberardo.com/

4 comentários:

bonecadetrapos disse...

Em boa hora aqui cheguei. Por aqui a arte traça caminhos.

Saudações
*__bonecadetrapos__*


PS: Vou linkar o seu blog, espero que não se importe. Grata.

gabriela rocha martins disse...

há uma ténue distância entre o muito
e
o muito bom
espero um dia conseguir dissipá.la

contigo

sem segundas intenções
deixo.te



.
um beijo

mariagomes disse...

hum... a Gabriela tem razão!

Não abro vídeos como em áfrica abro garrafas de água, é difícil a conexão, por isso fico-me pela leitura do post. Ouvi a notícia da exposição ou li em rodapé num canal de tv português, no entanto saio daqui muito mais elucidada. Obrigada, Joãozito.

beijinho
maria

João Rasteiro disse...

Para as 3 bonecas, a de "trapos", das "larangeiras" e das "savanas", um grande beijo.
João