sábado, 21 de fevereiro de 2009

Poesia Verde

António Ramos Rosa é candidato à 18º edição do Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-americana, um dos galardões literários de maior prestígio no espaço hispânico. Já no ano passado, a SPA apresentara a candidatura de A. Ramos Rosa ao prémio, (facto inédito, a candidatuta dois anos seguidos do mesmo poeta) que tem a dotação pecuniária de 42100 euros. Prémio que apenas foi ganho uma vez por um(a) português(a), Sophia de Mello Breyner Andresen na edição de 2003. Sendo um dos mais prestigiados prémios literários, pretende distinguir o conjunto da obra poética de um autor vivo que, pelo seu valor e impacto literário, constitua uma contribuição extremamente relevante para o património literário e cultural, partilhado por toda a comunidade ibero-americana. Poetas como Antonio Gamoneda, Mario Benedetti ou João Cabral de Melo Neto (para além de Sofia) já conquistaram o prémio.
Estou vivo e escrevo sol


Eu escrevo versos ao meio-dia
e a morte ao sol é uma cabeleira
que passa em fios frescos sobre a minha cara de vivo
Estou vivo e escrevo sol
Se as minhas lágrimas e os meus dentes cantam
no vazio fresco
é porque aboli todas as mentiras
e não sou mais que este momento puro
a coincidência perfeita
no acto de escrever e sol
A vertigem única da verdade em riste
a nulidade de todas as próximas paragens
navego para o cimo
tombo na claridade simples
e os objectos atiram suas faces
e na minha língua o sol trepida
Melhor que beber vinho é mais claro
ser no olhar o próprio olhar
a maravilha é este espaço aberto
a rua
um grito
a grande toalha do silêncio verde.
António Ramos Rosa
............................................The Animals - House of the Rising Sun

http://www.triplov.com/poesia/ramos_rosa/index.htm
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1366039&idCanal=14
http://www.ucm.es/info/especulo/numero33/aramosro.html

5 comentários:

Maria Toscano disse...

Parabenizo-te por também apreciares os The Animals (estão no meu emedeamar e muito bem! eheheh) e, claro, por Ramos Rosa de que sou... não digo leitora, é mesmo mais "deota" ehehehe;
.
quanto à tua mensagem de ontem (sábado) no sulmoura (resposta ao repto da mg) pois... se acederes por este link

http://sulmoura.blogspot.com/search?updated-max=2009-02-09T00%3A09%3A00Z

verás que lá estás desde dia 6...
ok?
:-)
obrigada na mesma, pois com umA alentejana... nunca se sabe... (mas já se vai sentindo o alívio da tese no meu tempinho saudável, nã vai? ai vai vai!!!)
:-)
beijocassss,
mt

Maria Toscano disse...

errata: no comentário anterior faltou-me um "v" (pelo menos... ) de "devota"... fica aqui, confiado, o deVido VÊ.
(também andei a roubar um CÊ a outro Poeta, mas esse foi roubo — involuntário — e ia dando em delapidação de Património, muito em moda hoje em dia, diga-se de passagem -; creio, contudo, que não chegou a haver tal delapidação... lapsos que a pressa teCe. :-)))) beijocas, mt,para o JR

João Rasteiro disse...

Ok Maria,V(b)eijos ao Sul, para os lados da moura!
joão

P.S. - Peço desculpas, mas não tinha reparado/visto o teu post de 6/02/09. Sorry...
j.

gabriela rocha martins disse...

andam desencaminhados os deuses e desencontrados os poetas

que pena!

( se a verdade matasse )


ao António
( espero finalmente )

à Maria e ao João
( final mente )
encontram.se ou não?


eheheheheheeh



.
um beijo
ainda mais a sul

alice disse...

que assim seja, joão. seria merecidíssimo! um beijo.