quinta-feira, 13 de maio de 2010

ROTAS

HERANÇA

A única herança do meu pai
[disse Yusuf ibn al-Sayj al-Balawi]
foi uns enormes testículos.

Que grande legado, pensou,
que grande legado.
......................Tradução de João Rasteiro

HERENCIA

La única herencia de mi padre
[dijo Yusuf ibn-Sayj al-Balawi]
fue unos grandes testículos.

Qué gran legado, pensó,
qué gran legado.
.............Harold Alvarado Tenorio
.
......................................OS VAMPIROS - Zeca Afonso

15 comentários:

Anónimo disse...

Que vais fazer com eles , pá?

João Rasteiro disse...

Nada pá, mesmo nada pá. É que eles estão tão espremidos, que dificilmente darão para alguma coisa - mas, não são os meus, pá, são os nossos. Pois é pá, isto está mesmo lixado.
Abraço pá!

joão rasteiro

gabriela r martins disse...

não brinquem com a herança dos Árabes ,meus distintos antepassados




.
um beijo ,Janita
( sem Salomé )

Luís Costa disse...

Este é umd de dois magníficos poemas que li nos útlimos dias, joao.

Obrigado- Nao conhecia. Bela traduçcao.

O outro poema é " amor " do Holandês [ poeta dramaturgo ]radicado há anos em portugal, Gerrit Komrij

Abraço

Luís Costa disse...

bom, também trago algum sangue árabe nas minhas veias. E o meu pai, deus o tenha no céu, como diria a minha avó, também me deixou um par de bons testículos. Talvez por isso este poema me agrade tanto.

João Rasteiro disse...

Olá Luís, obrigado pelos comentários.
Quando falas do Gerrit Komrig, estás a falar deste senhor que me acompanha(!):
http://bp1.blogger.com/_W1bx3B0XOP0/SCim2I0_J3I/AAAAAAAAAvM/lCgpaVhaxX4/s1600-h/03052008(043).jpg

Abraço,

joão rasteiro

alice disse...

estou aqui a pensarr... qual será a herança do meu pai... para mim...

:) beijinhos, joão.

Luís Costa disse...

Olá joão,

sim é esse mesmo,

Um abraço

Luís

Eis o poema:

Amor
Um sobre o outro, a sarna e o eczema.
Escamas estalam em nuvens de caspa.
Ela afaga-lhe, terna, o inchado bócio.
Os crânios brilham como um diadema.

Some-se um dedo em sangrento tumor.
Ela baba-se, retorcendo. Um abcesso
Rebenta. O bócio mais azul, ele se anima.
Rola-a sobre as costas. Mostra-se senhor.

Os gastos quadris entram em loucura.
É um rangido aparatoso. Empapam
Muco com pus numa orgia sem fim.
Ela vomita. É o divino em miniatura.

Gerrit Komrij
Contrabando - Uma antologia poética
Assírio & Alvim, 2005
Tradução de Fernando Venâncio

João Rasteiro disse...

Luís, o Gerrit Komrij é de facto um excelente poeta, aliás, é hoje considerado por alguns, o grande poeta dos Paises Baixos.
Para além de ter o previlégio de ter uma relação muito cordial com o Gerrit, com quem me encontro várias vezes em Coimbra, cidade que ele visita frequentemente (várias vezes por mês, aliás, ainda na semana passada estive com ele no mítico Café de Santa Cruz), fui eu que o indiquei em 2004 para os Encontros Internacionais de Poetas.
Quanto à antologia que refere, e de onde retiraste o poema, tenho-a com um belo prefácio.
A foto que viste, reporta-se ao Encontro Internacional de Surrealismo, "O Reverso do Olhar", realizado em Coimbra em 2008 e organizado pelo Miguel Carvalho.
Um grande abraço de Coimbra,

João Rasteiro

Anónimo disse...

... fui eu que o indiquei» , claro eu tenho poder prestigio para isso . Eu sou um poetrasto de provincia um palrador de livros na internet . E posso . E enxergo-me.

João Rasteiro disse...

Eu enxergo-me...outros, parece que não! Assim, para o anónimo (o tal, que utiliza uma linguagem neste tipo de comentários, tão semelhante à utilizada oralmente, que nem se apercebe que já quase toda a gente sabe quem é que está por detrás dos comentários, mas isso...)digo: SIM, fui eu que o indiquei, claro que se o anónimo (?) preferir, eu digo, fui eu que o sugeri à Dra. Graça Capinha, uma das organizadoras dos Encontros Internacionais de Poetas. POR ISSO, meu caro anónimo (?), SIM, fui eu que o indiquei, desculpe caro anónimo (?), que o sugeri, e depois foi aceite. Ah, fui eu que o indiquei, digo, sugeri, e depois foi aceite pela organização. Só mais uma coisa, caro anónimo(?), até fui eu que forneci a direcção e telefone do Gerrit Komrig.Como vê, caro anónimo(?),o poetrasto de provincia, o palrador de livros na internet, limitou-se a indicar, digo, sugerir um nome de um poeta com quem já tinha alguma confiança, e este foi aceite pela organização. E esta, hem!
P.S. - com esse fel, quase sempre inexplicável, meu caro anónimo(?)nunca conseguirá ser feliz. É que para além de tudo o resto, não deveria ser esse o nosso objectivo...?

joão rasteiro

Anónimo disse...

com tanta prosapia digo prosapia indiquei à não sei quants o Guerrit pra cá e pra lá o telef , o ponto de explcamação . a felicidade , o objectivo , uma ganda empresa de poesia e adivinhação afelicidade dos outros . a miha é torna infeliz . sou diabolico , digo diabolico ?

João Rasteiro disse...

"uma ganda empresa de poesia"...hum, terá sido uma gaffe????
Bom, mas amanhã é dia de trabalho, pelo menos para a maioria da população. BOAS NOITES.

Luís Costa disse...

Estimado Joao,

gostava de publicar este poema, traduzido por ti, no blogue " lugares mal situados " , onde participo.

Posso?

Um abraço:

Luís

Luís Costa disse...

Caso joao,

publiquei o poema no " lUGARES MAL SITUADOS " claro, mencionando o nome do tradutor.

Caso nao estejas de acordo, diz alguma coisa.

Abraço:

Luís