domingo, 31 de agosto de 2008

"céu que germina o furacão"

Charles-Pierre Baudelaire: (Paris, 9/04/1821 — Paris, 31/08/1867) foi um poeta, crítico e teórico da arte francesa. É considerado um dos grandes precursores do Simbolismo, embora também se tenha relacionado com diversas escolas artísticas. A sua obra teórica veio a influenciar profundamente as artes plásticas do século XIX.

Baudelaire é no entanto considerado sem qualquer dúvida um dos maiores poetas do Século XIX. Do seu estilo de vida "originaram-se" na França os chamados poetas "malditos"

Um revolucionário em seu próprio tempo. Hoje ele ainda é conhecido, não somente como poeta, mas também como crítico literário. Raramente houve alguém tão radical e ao mesmo tempo tão brilhante, apesar da aparente contradição que emana da sua poesia.

Em 1857 é lançado o livro "As flores do mal" contendo 100 poemas. O livro foi acusado no mesmo ano, pelo poder público, de ultrajar a moral pública da sociedade francesa. Os exemplares são apreendidos e o poeta teve de pagar 300 francos de multa.

Afirmou que "Manejar sabiamente uma língua é praticar uma espécie de feitiçaria evocatória" e ainda, "Como foi a imaginação que criou o mundo, ela o governa."

EMBRIAGUEM-SE
É preciso estar sempre embriagado. Aí está: eis a
única questão. Para não sentirem o fardo horrível
do Tempo que verga e inclina para a terra, é
preciso que se embriaguem sem descanso.
.
Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, a
escolher. Mas embriaguem-se.
.
E se, porventura, nos degraus de um palácio,
sobre a relva verde de um fosso, na solidão
morna do quarto, a embriaguez diminuir ou
desaparecer quando você acordar, pergunte ao
vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a
tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a
tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que
horas são; e o vento, a vaga, a estrela, o
pássaro, o relógio responderão: "É hora de
embriagar-se! Para não serem os escravos
martirizados do Tempo, embriaguem-se;
embriaguem-se sem descanso". Com vinho,
poesia ou virtude, a escolher.
.
Flores del Mal


http://pt.wikipedia.org/wiki/Charles_Baudelaire

http://br.geocities.com/edterranova/baudelapoesias2.htm

5 comentários:

gabriela rocha martins disse...

gostei ,particularmente ,neste meu regresso aos blogues do meu contentamento ,"reencontrar" e reler Baudelaire ,se bem que não seja muito de meu agrado "revê.los" em datas de falecimentos

mas ,caríssimo João ,Charles Baudelaire não é qualquer um ... e a propósito de qualquer um ... foste tu ou fui eu que interrompeu o "Acasalamento de Mãos"? parece.me que a bola está desse lado ou estarei enganada? diz!!!!!!
não gostaria de interromper o jogo que me apraz


.
um beijo [feliz ,ainda em férias]

João Rasteiro disse...

Gabrielinha, então as férias a acabarem, eh,eh,eh.
Quanto à interrupção, julgo ter sido eu..mas agora em Setembro iremos recomeçar, sem qualquer dúvida!!!
Tenho andado virado para outras coisas e outras escritas (prosa), mas isto vai normalizar, eh,eh.
Para o próximo fim de semana, irei estar na Amadora, galeria Artur Bual, para efectuar uma leitura no âmbito de uma inauguração de pintura surrealista, podes ver o convite no meu blog lá para 4º ou 5º feira.
E embora não comentando tenho passado no cantochão, ainda ontem lá passei e vi o teu longo e belo poema.
Mas daqui a uns dias "falaremos" melhor.
Beijinhos grandes e suculentos de Coimbra,
joão

Silvestre Raposo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Silvestre Raposo disse...

vinha comentar o Post mas isto está em maré de recados, então deixo um ...palavras andarilhas Beja aí por 25 Setembro e...pode ser que haja Mouras encantadas a Sul...eheheh
abraço

João Rasteiro disse...

se há mouras encantadas...estou a caminho!!!!!!!!!
Um abraço compadre,
j.