segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Viagens, rotas e destinos VI

homenagem a cesário verde

Aos pés do burro que olhava para o mar
depois do bolo-rei comeram-se sardinhas
com as sardinhas um pouco de goiabada
e depois do pudim, para um último cigarro
um feijão branco em sangue e rolas cozidas
.
Pouco depois cada qual procurou
com cada um o poente que convinha.
Chegou a noite e foram todos para casa ler Cesário Verde
que ainda há passeios ainda há poetas cá no país!
.
Mário Cesariny

4 comentários:

Maria João disse...

Faz-me pensar esta irónica homenagem de Mário Cesariny a Cesário Verde...
Sim, para estes poetas, a poesia não passa de um digestivo de bom tom. E quem sabe se ele não poderá até ser útil num possível desconforto abdominal? rs
Obrigada, João, por esta brisa marítima que, em plenas férias, entra no teu blog e refresca quem ainda não saiu de casa.
Um abraço
Maria João Oliveira

gabriela rocha martins disse...

escolha felicíssima

soube.me ,divinal mente ,reler o Mário Cesariny - tenho saudades das nossas conversas "malucas" - e esta homenagem a Cesário é quase única

.
um beijo [em princípio de férias]

vaandando disse...

Viva João !
Ainda continuas em feliz veraneio, e ainda nos festejas com este belo poema de Cesariny !
Pois , muitos banhos !
abraço amigo!
Zé marto

João Rasteiro disse...

um grande abraço para o Zé, um beijinho para a Maria João enquanto não sai de casa para gozar a brisa do mar e por fim a Gabriela, ainda bem que entro de férias, já só faltava meter cunhas ao 1º ministro para ir "saborear o mar", já eram demais os lamentos (eh, eh, eh,).
Abraços amigos para todos, que o meu martírio (trabalho!!!)vai recomeçar.
joão