quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Blowin' In the Wind


Alma
.................não sossegues o homem, deixa

................deus aterrorizá-lo

.................mas vender-lhe a alma, nunca

........................
.valter hugo mãe
.

Há poetas mortos na sílaba dos cães raivosos.

.

Uma criança atravessa a cidade entre poemas

e a paixão há-de alastrar como chumbo aceso.

A boca do coração explodindo esquírolas.

E coloca o sexo perto da traqueia do mendigo

..........................................vermelho – o sol

das raízes-de-cobra libertando-se do casulo urbano.

.

Duas crianças contornam a boca das máscaras

sob um cântico de besouro no sonho obscuro

..............................................E acordam

com o seu próprio milagre – ele

a erupção das ancoras-crias-língua de sangue.

.

Três crianças dobram os dedos dos girassóis azuis

curvam-se corpos como pontuação viva

na linguagem da terra

......................a cânula-esquife da sílaba E

desenraízam do poema

....................Os cavalos da nudez do mármore

....................Os líquidos da colmeia curvada

....................Os espelhos do linho dos vermes

....................Os homens que têm o sol pendurado nos olhos

...........................................................a

............................................................l

...........................................................a

...........................................................v

...........................................................r

...........................................................a

..................Do desejo perante o vazio – o barro

da árvore E o fruto e o seu fugaz percurso de paixão.

..................O corpo e a Alma

..................................A unidade originária da borboleta

......consumida em seu centro explosivo - eu estou nesse lugar nu.

....................................................................João Rasteiro

.

Bob Dylan - Blowin' In the Wind




1 comentário:

gabriela rocha martins disse...

re ENCONTRO.me.TE


.
um
dois
três beijo[s]