sábado, 13 de setembro de 2008

O Silêncio

Vozes

Desejo entranhar a eternidade

maldita das vozes iniciais aves

ressurgindo lembrança acúlea

o fogo da memória fecunda pele

de pequenas bocas outra águas

misturando ecos epílogo exicial

na blasfémia sublime do engano.

João Rasteiro



1 comentário:

gabriela rocha martins disse...

reencontro de palavras
fecundas

onde te leio

AMIGO


.
um beijo