domingo, 11 de maio de 2008

LUGARES

POEMA
Se morro
universo se apaga como se apagam
as coisas deste quarto
......................................se apago a lâmpada:
os sapatos - da - ásia, as camisas
e guerras na cadeira, o paletó
- dos - andes,
...............bilhões de quatrilhões de seres
e de sóis
..........morrem comigo.
.
Ou não:
.........o sol voltará a marcar
.........este mesmo ponto do assoalho
.........onde esteve meu pé;
............................................deste quarto
.........ouvirás o barulho dos ônibus na rua;
..............uma nova cidade
..............surgirá de dentro desta
..............como a árvore da árvore.
.
Só que ninguém poderá ler no esgarçar destas nuvens
a mesma história que eu leio, comovido.
Ferreira Gullar
.
Pink Floyd - Dark Side Of The Moon


.

http://portalliteral.terra.com.br/ferreira_gullar/
http://www.culturapara.art.br/opoema/ferreiragullar/ferreiragullar.htm
http://www.culturapara.art.br/opoema/opoema.htm

3 comentários:

gabriela r martins disse...

não morras ,por favor

careço.vos, Poetas!


.
um beijo ,no e para o lado de cá do oceano

Anónimo disse...

Gullar é provavelmente o último grande poeta brasileiro, sem qualquer dúvida, nem M. Barros.

Anónimo disse...

Rs,rs,rs,rs. Ai a SOBERBA