sexta-feira, 16 de maio de 2008

O AMOR

À A....
de profundis amamus
(...)Não faz mal abracem-me
os teus olhos
de extremo a extremo azuis
vai ser assim durante muito tempo
decorrerão muitos séculos antes de nós
mas não te importes
não te importes
muito
nós só temos a ver
com o presente
perfeito
corsários de olhos de gato intransponível
maravilhados maravilhosos únicos
nem pretérito nem futuro tem
o estranho verbo nosso.
Mário Cesariny - Pena Capital

Jorge Palma - Encosta-te a Mim
.
http://users.isr.ist.utl.pt/~cfb/VdS/cesariny.html

1 comentário:

gabriela r martins disse...

quando se ama.......

ad aeternum
[ quem inventou semelhante disparate? ]


.
um beijo