sábado, 24 de janeiro de 2009

QUASI, Quasi, quasi...

Já foi tornada pública a lista dos 12 livros finalistas, candidatos ao Prémio Literário Casino da Póvoa do Correntes d’Escritas. O evento vai decorrer entre os dias 11 e 14 de Fevereiro de 2009. A eleição do poeta dos poetas relativo à presente edição está quase a chegar e sairá das seguintes obras:

.
• Gastão Cruz, A Moeda do Tempo, Assírio e Alvim
• Nuno Júdice, As Coisas Mais Simples, Dom Quixote
• José Agostinho Baptista, Filho Pródigo, Assírio e Alvim
• Maria Teresa Horta, Inquietude, Quasi
• Jorge Gomes Miranda, O Acidente, Assírio e Alvim
• Armando Silva Carvalho, O Amante Japonês, Assírio e Alvim
• José Rui Teixeira, Oráculo, Quasi
• António Cícero, A Cidade dos Livros, Quasi
• Eucanaã Ferraz, Rua do Mundo, Quasi
• Eduardo White, Dos Limões Amarelos do Falo às Laranjas Vermelhas da Vulva, Campo das Letras
• Antonio Gamoneda, Descrição da Mentira, Quasi
• A.M. Pires Cabral, As Têmporas da Cinza, Cotovia

Um pequeno trecho da obra finalista, "Oráculo" de José Rui Teixeira:
.
Quando eu era criança anoitecia
sobre a verdade intrínseca de haver ruas
pequenas e horizontes pequenos no fundo
das ruas. Os velhos sentavam-se na soleira
da porta nas noites de verão e as raparigas
sangravam demoradamente o calor
para dentro dos pulmões e cresciam-lhes
os seios, e fechavam-se em casa. Quando eu
era criança a minha mãe pousava na superfície
do outono como um anjo ferido.
.................................A Naifa - Desfolhada

http://www.cm-pvarzim.pt/go/correntesdescritas

http://www.pnetliteratura.pt/noticia.asp?id=3785

2 comentários:

L.C. disse...

Estimado Joao,

qual é o seu favorito?

Um abraço:

L.C.

João Rasteiro disse...

Caro Luís, penso que António Gamoneda, Armando Silva Carvalho e Nuno Júdice (por motivos variados e por vezes complementares - Obra, "qualidade" dessa mesma obra, espaço ocupado na "comunidade poética" e a forma como o a crítica "olha) esses poetas e respectiva obra)serão os favoritos. Numa segunda linha, por razões similares às que já apontei, poderão ser colocados Gastão Cruz e A. M. Pires Cabral. Outro nome será uma surpresa, embora talvez uma lufada de ar fresco nos parâmetros que determinam a atribuição destes prémios literários.
Ainda assim, eu votaria António Gamoneda.
Um abraço,
joão