quinta-feira, 9 de abril de 2009

O silêncio de deus

Para os meus amigos italianos, em particular para todos os da cidade de Aquila e da região de Abruzzo, uma pequena (embora impotente) homenagem. Em nome de todos um poema "Enquanto o silêncio durar", traduzido pelo amigo Alberto Sismondini.

Mentre il silenzio perdura

Nel centro docile dell’attesa
cattedrali sanguinano gli occhi mordenti la calma.
E l’olio e il vino, sciolsero
il seme in bozzoli dorati, che
gli alberi fendettero.
Il corpo, lo divorano i metalli incendiati
nella danza dei polmoni, che bambini
rinnegarono nell’eclissi.
Forse nel marmo calcificato di promesse
l’orto si purifichi, cercando nel candore
della luce, il puro tatto dei suoni.
E l’uomo strazia il respiro, lapidato nella
saliva delle unghie, dove uccellini volano tra le dita
curvate sul volto di acacie.
Nel sale di questo pianto, l’apprendista segreto
di sogni e luce.
Su queste vetrate dal veder passar
le parole, dalla polvere che si scuote,
accetto il silenzio come un amante.
............................................... João Rasteiro
In, Antologia Poesie Sulle Piastrelle - Zacem, 2001
----------(Tradução: Alberto Sismondini)
...................................Pavarotti - Ave Maria (Schubert)

Poema em português:

http://alapidacaodasilaba.blogspot.com/search/label/Poesia%20de%20Jo%C3%A3o%20Rasteiro%20-%20Italiano

7 comentários:

alice disse...

que bonito, joão. um poema para quem mais precisa :) parabéns! e um beijinho e votos de boa páscoa!

vaandando disse...

Esforcei-me bastante por ler , e o que consegui primariamente foi pouco , já lá vai o tempo em que estudei um bocadinho... Mas a intenção , a tua intenção , contará e conta muito ...
Fico-me com a Avé Maria que gosto muito ...
abraço, João
,

João Rasteiro disse...

Zé valeu o esforço, MAS, se clicares no link que coloquei a seguir à música....Voilá: poema em português!
Grande abraço,

João Rasteiro

vaandando disse...

..li , e reli , ficou na minha retina« No sal deste choro, o aprendiz secreto
de sonhos e luz«
Um gosto ler-te sempre denso e desafiante
Grande abraço
______ JRMARTO

Vieira Calado disse...

Bem apropriado e oportuno:

poema e música.


Um abraço.

João Rasteiro disse...

Meu caro poeta Vieira Calado, ainda bem que os ecos do silêncio chegam ao Algarve, onde me sinto sempre muito bem, especialmente lendo poesia. Ainda este ano estive em Janeiro em Lagoa (exposição internacional de surrealismo, no Convento de S. José) e no ano passado em Silves (III Bienal de Poesia de Silves).
Um grande abraço de Coimbra,

joão rasteiro

gabriela rocha martins disse...

belíssimos
o gesto
e o poema

nobilíssimo sentimento ( o teu )


.
um beijo ,João